domingo, 24 de setembro de 2017

MARCOPOLO PARTICIPA DA RENOVAÇÃO DA FROTA DO TRANSPORTE COLETIVO DE FLORIANÓPOLIS

A Marcopolo é a principal fornecedora de ônibus para as empresas de transporte coletivo de Florianópolis, recentemente, fez a entrega de mais sete veículos do modelo Torino para o Consórcio Fênix, operador da capital catarinense. A fabricante participa ativamente da renovação de frota e seus produtos colaboram para proporcionar mais conforto e segurança à população.

O Marcopolo Torino destinado a Florianópolis possui 13,4 metros de comprimento e capacidade para transportar até 75 pessoas (43 sentados e 32 em pé). Todas as unidades têm acessibilidade total com plataforma elevatória, bancos preferenciais anteriores à catraca, alças de suporte e botões com identificação em braile.

O veículo conta com painel com recursos digitais de informação ao motorista, bancos estofados com encosto alto e renovadores de ar no salão, para redução da temperatura ambiente. As unidades possuem sistema de rastreamento e terão instalado também o sistema de vídeo-vigilância embarcada, para ainda maior segurança.


O Consórcio Fênix é formado pelas empresas Canasvieiras, Emflotur, Estrela, Insular e Transol. A operação do transporte coletivo da capital é realizada com aproximadamente 450 veículos para o serviço convencional e 83 no Executivo, em mais de oito mil partidas por dia útil nas 185 linhas. Mensalmente são transportados mais de 5,4 milhões de passageiros e percorridos cerca de 3,2 milhões de quilômetros.

sábado, 23 de setembro de 2017

Honda passa a integrar Índice Mundial de Sustentabilidade da Dow Jones

A Honda Motor Co., Ltd. foi selecionada para integrar, pela primeira vez, o Índice Mundial de Sustentabilidade da Dow Jones (DJSI World), um dos principais parâmetros para investimento socialmente responsável*. 


O DSJI é um índice de investimento desenvolvido conjuntamente pela americana S&P Dow Jones Indices e a suíça RobecoSAM, que avalia a sustentabilidade de empresas líderes mundiais em termos econômicos, ambientais e sociais e seleciona empresas que demonstram excelência geral nesses critérios.

Com base na avaliação anual do DJSI, a S&P Dow Jones Indices e a RobecoSAM publicam uma lista de empresas selecionadas e, pelo terceiro ano consecutivo, a Honda integra o Índice Dow Jones de Sustentabilidade da Ásia/Pacífico. Nessa revisão, a Honda também foi classificada entre as 5 melhores empresas globais do setor automobilístico e incorporada ao Índice Mundial de Sustentabilidade da Dow Jones (DJSI World).

Por meio de criações e desafios únicos como uma empresa de mobilidade, a Honda continuará oferecendo produtos e serviços atraentes que tragam alegria aos clientes e contribuam para a resolução de diversos problemas sociais. Assim, a Honda manterá seus esforços para ser uma empresa desejada pela sociedade.


*Estratégia de investimento que inclui critérios para avaliar a responsabilidade social das empresas, além da análise convencional de indicadores financeiros.

Pilotos da Praga conquistam metade das vagas para o Mundial de Rotax

Faltando pouco menos de dois meses para o Rotax Max Challenge Grand Finals, a delegação brasileira na competição foi definida após a disputa do Campeonato Brasileiro de Rotax, no último sábado (16), no Kartódromo da Granja Viana. 

Das 10 vagas disponíveis para a Final Mundial, cinco delas ficaram com pilotos que competem com chassis Praga: Michel Aboissa, Roberto Azana e Fernando Guzzi garantiram a classificação na categoria DD2 Masters, Alberto Catucci na DD2 e Alexandre Trita na classe Max Masters.


A maioria das vagas foi definida pela soma de resultados da Copa Rotax - que foi disputada em três etapas, junto da Copa São Paulo de Kart - e do Campeonato Brasileiro de Kart. Além da vaga, Aboissa também comemorou o título de Campeão Brasileiro na Rotax DD2 Masters.



Conhecido também como Olimpíadas do Kart, o Rotax Max Challenge Grand Finals reúne apenas campeões nacionais e regionais dos campeonatos que utilizam motores da fabricante austríaca Rotax. 

Neste ano, a sede do evento será o Kartódromo de Portimão, em Portugal, entre os dias 4 e 11 de novembro. Na competição, a organização fornece equipamentos idênticos para todos os pilotos, deixando a disputa ainda mais equilibrada. Ao todo, serão 11 representantes brasileiros no Campeonato.

SsangYong retorna ao Brasil através do Grupo JLJ

A SsangYong Brasil, por meio da Venko Motors, do Grupo JLJ, assume oficialmente a importação e a comercialização de veículos da montadora sul-coreana no mercado brasileiro. 

A representação oficial foi concluída em fevereiro último, depois de quase um ano de negociações. O contrato de parceria vale por 10 anos, com períodos renováveis e subsequentes de 5 anos. 

A SsangYong Brasil inicia suas operações com prioridade de resgatar a marca sul-coreana, que teve duas passagens pelo País, entre 1995 e 1998 e depois de 2001 a 2015, com a comercialização de 16.511 unidades, das quais 4,6% na região Norte, 22,8% no Nordeste, 13,2% no Centro-Oeste, 29,2% no Sudeste, e 29,9% no Sul. 

"Com essa mudança de posicionamento da marca, esperamos conquistar o consumidor brasileiro”, afirma Gerson Pittorri, presidente da SsangYong Brasil.

Futuro – A poucos meses do início de comercialização dos veículos SsangYong, além de priorizar o pós-venda da atual frota circulante da marca, esse período de estruturação da empresa justifica-se – na avaliação de Pittorri – “porque é o tempo que precisamos também para apresentarmos uma nova rede autorizada de concessionárias”. 


Modelos – A SsangYong Brasil reinicia suas operações com a comercialização dos modelos Actyon Sports, Korando, Tivoli e XLV, todos em duas versões, cujos preços ainda não foram definidos. “Mas, podemos antecipar que os quatro modelos e versões terão preços muito competitivos, inclusive em relação a modelos fabricados aqui no Brasil”, afirma Gerson Pittorri. 

“No primeiro ano, vislumbrar comercializar cerca de 3 mil unidades, por meio de 50 concessionárias full service até o final de 2018. Dessas, 16 pontos de atendimento são remanescentes das duas fases anteriores da marca no Brasil. 

Scania amplia market share no Chile

A Scania aumentou em 5 pontos percentuais sua participação no mercado chileno de caminhões de janeiro a agosto. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, o resultado reflete os esforços da empresa em oferecer soluções customizadas, inovação e relacionamento com o cliente para os segmentos de transporte florestal, mineração e longa distância.

As unidades de negócios da Scania no Chile passaram por um processo de modernização com foco nas melhores soluções para segurança, customizando a oferta de acordo com as demandas regionais, uma vez que o mercado chileno é um dos mais rigorosos da América Latina, em termos de dispositivos de segurança rodoviária.

A Scania oferece aos seus clientes um portfólio rentável e adequado para cada operação, com caminhões que atendem às especificações de cada segmento, como é o caso do R480, ideal para o transporte rodoviário e internacional, muito importante em algumas regiões do país. Assim, a Scania passou a oferecer aos seus clientes um portfólio amplo e customizado com veículos que atendem às especificações desejadas por cada comprador, maximizando sua produtividade.

E, para reforçar sua área de serviços, a empresa conta com 14 concessionárias no país sul-americano. Todas passaram por um processo de modernização para levar ao cliente um atendimento mais ágil e prático. Atualmente, 100% de nossas revendas no país seguem os padrões e processo de qualidade Scania.

Outro quesito para reforçar a pós-venda no Chile foi a customização e flexibilização das ofertas de serviços, o que elevou para cerca de 80% as vendas de caminhões com contratos de manutenção.

A proximidade com o cliente, também se tornou um ponto forte das operações locais. Para isso, a Scania apostou em ações e eventos nas concessionárias, para apresentar e reforçar o seu portfólio de produtos e serviços ideais para cada operação, mas principalmente, introduzir a equipe de especialistas preparados para atender às necessidades de cada segmento.


Para o mercado chileno, a montadora sueca aposta na inovação de seus produtos, antecipando tendências como os veículos movidos a combustíveis alternativos, que vêm em uma demanda crescente e atualmente são oferecidos pelas concessionárias Scania aos seus clientes locais.

Kia Motors promove workshop sobre ferramentas de gestão e liderança

Nos dias 11 e 12 de setembro, a Kia Motors do Brasil promoveu o workshop “Ferramentas de Gestão e Liderança”, com o objetivo de fortalecer a operação da Rede Autorizada de Concessionárias e buscar a integração entre setores fundamentais de cada grupo. Realizado em Indaiatuba (SP), o encontro contou com a presença de mais 90 executivos, entre diretores, titulares e gerentes de vendas e pós-vendas de todo o país.


Na abertura do evento, Ary Jorge Ribeiro e João Pessoa, diretores de Vendas e de Industrial da Kia Motors do Brasil, respectivamente, apresentaram números do mercado nacional e o novo sistema que está sendo implementado para otimizar a distribuição de peças às concessionárias. Sergio Sanchez, gerente automotivo e de pesquisas da J.D. Power do Brasil, também foi convidado a falar sobre as metodologias e os resultados das pesquisas realizadas pelo instituto no país.

Segundo Ary Jorge, o workshop integra a preparação da rede para 2018, ano marcado pelo encerramento do programa Inovar-Auto. “A Kia passará a ser uma nova empresa, pois teremos disponibilidade de produtos sem limitação de cota de importação e sem os 30 pontos percentuais adicionais ao IPI. Isso fará com que nossas vendas aumentem, assim como o número de clientes e, consequentemente, mão de obra e peças. Os gerentes precisam estar preparados para esta nova fase”, ressalta.

Ary Jorge ainda destaca o interesse dos participantes e a importância do workshop para o diálogo entre a rede.

Conhecimento prático - Responsável pela apresentação das ferramentas estratégicas de gestão e liderança, Rogério Fabron, instrutor de treinamento da Kia Motors do Brasil, observa que o conteúdo abordado no workshop está alinhado à realidade dos participantes. 

O encerramento do evento foi comandado pelo presidente da Kia Motors do Brasil, José Luiz Gandini, que apresentou projeções para os próximos anos e antecipou informações sobre os planos futuros da marca no país.

VIAÇÃO GALO BRANCO RENOVA FROTA COM 10 ÔNIBUS MARCOPOLO

Imagem: Douglas de Souza Melo    
A Viação Galo Branco S/A, operador de transporte de São Gonçalo, no Rio de Janeiro, adquiriu mais 10 ônibus Marcopolo dos modelos Audace e Torino. Os novos veículos serão utilizados no transporte urbano de passageiros da cidade e municípios vizinhos em serviços seletivos bem como linhas regulares de curta distância.

As oito unidades do Marcopolo Audace desenvolvidas para a Viação Galo Branco S/A representam uma solução diferenciada para os segmentos de serviços seletivos bem como linhas regulares de média e curta distâncias. Com chassi Mercedes-Benz OF 1721, o modelo tem capacidade para transportar 46 passageiros em poltronas executivas com 1.030 mm de largura e descansa-pés e conta com sistema de ar-condicionado, câmeras de monitoramento, rádio com MP3 e itinerários eletrônicos.

Internamente, os novos ônibus são equipados com porta do tipo In-Swing, que se desloca para a parte interna do veículo e oferece maior segurança e funcionalidade na operação, além da escada com novo desenho dos degraus, que tornam a entrada e a saída mais confortáveis e agradáveis. A segurança também é garantida pelos corrimãos posicionados de forma mais acessível e iluminação em LEDs.

As duas unidades do Torino têm capacidade para transportar 37 passageiros sentados. Desenvolvidos para oferecer mais conforto para os passageiros e eficiência operacional para os frotistas, possuem maior largura interna, que garante amplo espaço para circulação, iluminação interna em LEDs, portas eletropneumáticas, sistema multiplex, rádio com MP3, itinerário eletrônico e ar-condicionado.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Stuttgart Motorsport terá Max Wilson nos 500 Km de São Paulo - Troféu Stuttgart 20 Anos

A equipe Stuttgart Motorsport terá um reforço na prova 500 Km de São Paulo – Troféu Stuttgart 20 Anos, que será disputada neste sábado (23 de setembro) no Autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu. Max Wilson, vencedor da prova em 2002 e 2008, se juntará a Marcel Visconde e Ricardo Mauricio na condução do Porsche 911 GT3 R nas quatro primeiras etapas do Campeonato Brasileiro de Endurance. Visconde e Mauricio têm possibilidades de conquistar o título por antecipação.

Wilson tem um longo histórico em provas de endurance ao volante de carros Porsche. Venceu duas vezes a Mil Milhas (2001, dividindo a condução com Regis Schuch, Flavio Trindade e André Lara, e 2008, com Marcel Visconde e Raul Boesel) e duas os 500 Km de São Paulo (2002, com Paulo Bonifácio, e 2008, com Visconde). Em 2009 e 2010, Wilson, Visconde e Nonô Figueiredo terminaram os 500 Km em segundo lugar. “São quase duas décadas de relacionamento com a marca, com o Marcel e com o Ricardinho. É um grande prazer voltar a correr com Porsche e espero ajudar os dois a vencer”, afirma o piloto, campeão brasileiro de Stock Car em 2010.

O patrocínio da Stuttgart Veículos aos 500 Km de São Paulo ocorre no ano em que a empresa celebra 20 anos de atividade. A Stuttgart foi importadora oficial Porsche no Brasil entre 1997 e 2015. Hoje, possui sete concessionárias da marca alemã nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste, além de integrar, junto com a Porsche AG, a joint venture que compõe a Porsche Brasil. Por coincidência, a primeira vitória de um Porsche inscrito pela Stuttgart também completa 20 anos ‒ e aconteceu justamente nos 500 Km de São Paulo.


No sábado, os pilotos entram na pista às 8:35 para o quarto treino livre e às 10:40 para o treino classificatório que definirá o grid. A largada acontecerá às 13:55.

Augusto Farfus disputa penúltima etapa do DTM 2017, no Red Bull Ring com mudança no regulamento

O DTM chega neste fim de semana à Áustria para a penúltima etapa do campeonato 2017, no belíssimo cenário do Red Bull Ring, em Spielberg, com uma importante mudança no regulamento. 

Após uma decisão conjunta entre organização, montadoras e pilotos, a categoria aboliu de forma imediata o sistema de lastro de peso por performance, o que deve influenciar diretamente nas disputas. Único brasileiro no grid, Farfus comentou a novidade, mas se mostrou confiante para as provas em uma de suas pistas preferidas - onde o piloto já subiu ao pódio em 2014 e ficou em 4º lugar no ano passado.

Nos últimos anos, os pilotos tinham pesos acrescidos ou retirados de seus carros conforme o desempenho das montadoras, ora referente ao resultado da etapa prévia, e depois, com base na tomada de tempos. Com muitas opiniões contraditórias pelas partes envolvidas, o sistema também não agradava aos fãs, por seu difícil entendimento. A mudança faz parte de um movimento de renovação para o qual o DTM se encaminha, especialmente após o anúncio da saída da Mercedes do campeonato ao fim da temporada 2018.

Para a etapa da Áustria - a última do ano fora da Alemanha -, a expectativa de Farfus é muito positiva. Desde que ingressou na categoria em 2012, o curitibano pontuou em todos os anos que correu no circuito de 4.326 metros de extensão, cujo traçado de média-alta velocidade é cheio de subidas e descidas, e fortes pontos de freadas, propícios para ultrapassagens.

A performance do piloto do BMW Team RMG nas últimas etapas reforça a confiança de Augusto. Em Nürburgring, há 10 dias, ele liderou metade da corrida 1, mas foi obrigado a fazer um pit-stop extra, após uma forte chuva começar a cair logo depois que ele colocou pneus slick. Assim, Farfus vai cheio de vontade para confirmar o bom resultado.

As corridas no Red Bull Ring acontecem a partir das 9h45 no sábado (horário de Brasília), e no domingo às 10h15, ambas com transmissão ao vivo pelo Youtube (acesse pelo site www.farfus.com, clicando em Live Races). O canal Bandsports transmite a prova de sábado em VT às 19h, e no domingo, ao vivo, a partir das 10h.

Augusto Farfus:
“Estamos na reta final do DTM, e com essa mudança, que é a retirada do peso de performance dos carros, teremos uma prova diferente. No Red Bull Ring, seríamos nós da BMW que estaríamos com os carros mais leves que Audi e Mercedes, então, isso não vai nos ajudar muito imediatamente. Mas gosto bastante do circuito, é um dos meus favoritos, além de ser muito bonito, e já andamos bem lá. Nossa performance nas últimas corridas também nos deixa confiantes para conquistarmos bons resultados nessas duas últimas etapas. Não conseguimos concretizar a vitória em Nürburgring, então vou atrás dela agora em Spielberg".

Confira a programação do DTM na Áustria (horários de Brasília):
Sexta-feira, 22 de setembro:
11:45 – 12:15: Treino livre 1 
12:15 – 12:20: Treino de largadas


Sábado, 23 de setembro:
04:20 – 04:50: Treino livre 2 
06:40 – 07:00: Classificação 1
09:45: Corrida 1



Domingo, 24 de setembro:
04:25 – 04:55: Treino livre 3
04:55 – 05:00: Treino de largadas
7:00 – 7:20: Classificação 2
10:15 - Corrida 2

Roberto Nasser - De carro por aí


Coluna 3817 - 22.09.2017 edita@rnasser.com.br  

Honda Fit se aprimora para 2018
Pela Internet Honda apresentou a linha 2018 para seu bem sucedido Fit. Uma espécie de Geração 3 e ½, identificada visualmente por alterações nos para choques, faróis e grade frontal. Mudança principal, relatada na Coluna passada, foi o incremento em itens de segurança usuais a versões de maior hierarquia. Segue o caminho traçado nos modelos equivalentes nos EUA e Europa.

ESP, iniciais do sistema de controle de estabilidade; o TC, controle de tração – artifício faz a transmissão arrancar em marcha fraca para evitar patinagem -; o manjado assistente de partida em rampa, o Hill Holder; e luzes de freadas emergenciais, são itens eletrônicos cujo crescimento na escala de uso permite reduzir preços e tornar-se atrativos mesmo ante o lento crescimento de aceitação e demanda pelos clientes brasileiros. A postura mercadológica pelo emprego de itens eletrônicos de segurança talvez encontre justificativa ante as exportações para a Argentina. O aliado do Mercosul pressiona o governo brasileiro para exigir o ESP nos produtos nacionais – o Brasil remancha, titubeia, engasga para regulamentar a obrigatoriedade. Somos lentos em adotar legislação pró segurança.

Versões
São quatro degraus de conteúdo e preço, mas há padrão básico: parte dos equipamentos listados, o pequeno motor L4, 1,5 litro, i-VTEC, variador de sincronia e abertura das 16 válvulas, 116/115 cv com gasálcool e álcool, flex; transmissão automática CVT, com polias variáveis; novo sistema de direção elétrico; freios ABS, o sistema anti bloqueio -, com EBD, distribuidor eletrônico da pressão hidráulica forçada pelo pisar no pedal do freio. Em segurança, cintos com ancoragem em três pontos para todos os passageiros, e fixadores Isofix para cadeirinha infantil.

A tecnologia vem-se democratizando, como exposto na escalada de conteúdo. Na versão básica DX, exceção está no uso de quase órfã transmissão mecânica de 5 marchas – um mico ‘a hora da revenda, e obrigatório par de almofadas de ar frontais. Versões superiores, transmissão automática por polias deslizantes, o sistema CVT, com simulação para sete marchas, com acionamento por alavanquinhas sub volante. Na EX, além das bolsas de ar frontais, também as há laterais. Em seguida EXL amplia o oferecimento com bolsas laterais tipo cortina, totalizando seis unidades. Nas duas versões superiores, ar condicionado digital.

Topo, a EXL contém novo módulo multimídia com conexão para SmartPhones Apple Car Play e Android Auto.
A novidade fica por conta da versão Personal, partindo de R$ 68.700 e permite a combinação de equipamentos pelo consumidor, optando por um item, sem pagar por todo pacote de versão superior.

Quanto custa
Versão
         R$
DX
58.700
Personal
68.700
LX
70.100
EX
75.600
EXL
80.900
Novidade é a versão Personal, admitindo escolha pontual dos itens sem a necessidade da compra de pacote completo. Experiência à busca de resultados.

TVR Griffit surpreende mantendo tradição
Fazendo surpresa, inglesa TVR apresentou seu novo modelo, o Griffith. Esportivo, motor entre eixos dianteiro, Ford V8 com 500 CV, com baixo peso, consegue excepcionais resultados: acelera de 0 a 100 km/h em menos de 4 s e supera os 320 km/h em velocidade final. Surpresa está no fato de todo o leque de marcas da indústria automobilística britânica, uma das maiores do mundo até a II Guerra Mundial, hoje estar resumida a dois fabricantes com grandes carros e pequenos quantitativos. 

A TVR, quase desaparecida, depois vendida ao russo Nikolay Smolensko, foi recomprada por grupo britânico. Construiu nova fábrica, formulou novo produto, pequena capacidade de produção, 500 unidades anuais. Outra, a MacLaren, mesmo diapasão, mas apta a entregar 3.000 unidades/ano. Marcas inglesas, outrora míticos exemplos de britanicidade são comandadas por capital estrangeiro: Rolls-Royce, BMW; Bentley, Volkswagen; Jaguar Land Rover, da indiana Tata; Mini, BMW; Lotus, investimento malaio...

Projeto para performance, emprega materiais leves para estrutura e carroceria, muito compósito em carbono, aço e alumínio colados sob pressão, consegue segurar o ponteiro da balança em 1.250 kg. É mais leve e menor ante concorrentes Porsche 911, Jaguar F Type e Aston Martin Vantage.

Projeto primoroso com apoio da Gordon Murray Design, autora do projeto da Mc Laren, motor Ford Coyote V8 5 litros desenvolvido pela Cosworth, aspirado produz 500 saudáveis e longevos cavalos, com a característica de durabilidade, aversão a oficinas, e grandes intervalos entre revisões. Entre eixos dianteiro permite excepcional distribuição de peso, sonho de qualquer projetista: 50% em cada eixo. Tração traseira, transmissão de seis velocidades.

Aerodinâmica privilegiada para estabilidade e refrigeração dos freios. Rótulo principal, deve ser visto como o último grito de uma tecnologia em descenso, a dos carros puramente movidos por motor a combustão interna, sem engenhos elétricos para hibridizá-lo.
Série de lançamento, a Launch Edition, porta revestimento em couro; rodas leves em desenho especial, pintura exclusiva, grande painel incluindo tela por toque, e botão de arranque imitando os utilizados nos jatos disparadores de foguetes, com pequena tampa a ser basculada para permitir premer o botão.

Projeto, charme, quase exclusividade não custam caro neste universo de carros personalizantes e de performance: 90 mil libras – uns R$  381 mil. Caro ? Não, em tempos de Lava Jato, merreca. As malas do importante Dr. Geddel permitiriam para comprar  133 Griffith, quase 4 meses da produção do automóvel, e surfar entre seus fiéis eleitores baianos. 

Roda-a-Roda
Pesquisa – Fiat desenvolve soluções para manter a liderança do Strada dentre picapes pequenos. Uma delas, preservar a plataforma atual, resistente, testada, trocando a cabine por outra. Uma das possibilidades, a do Mobi. Questão é segurar custos para evitar concorrer com o Toro, líder na categoria superior.

Ajustes – Nas adequações sugere-se contrair a relação de versões, limitando o Strada a duas portas e poucos equipamentos. E simplificar o Toro para reduzir preço e conquistar clientes dos Strada das antigas versões mais equipadas.

Conforto - Citroën confirmou lançamento próximo dia 10 da van Jumpy, montada no Uruguai, objeto de informações na Coluna  1117, aos  15.março. Formato inicial de furgão – após, passageiros -, e característica principal e diferenciativa do projeto é um olhar automobilístico sobre a ergonomia, a posição de conduzir, comandos, e os dois passageiros. Quer destacá-lo como o de maior conforto para usuários – motorista e auxiliares – ou caronas.

De volta – Da Coréia SsangYang confirmou volta do país. Como Coluna informou anteriormente, retorno será através de polivalente Venko, responsável pela chegada da chinesa Chery ao Brasil – após a marca chinesa assumiu a operação. Importações a partir do cancelamento do super IPI. Representação com prazo de 10 anos. Produto inicial, inescapável SUV.

Vantagem – Governo Federal baixou Medida Provisória satisfazendo concessionárias das estradas. Os investimentos nas vias – obras de arte, duplicação, etccc – não cumpridos nos últimos 5 anos terão mais 9 para ser viabilizados.

Razão - Generosidade dar-se-á com o dinheiro do usuário, pois a tarifa cobrada para cobrir os investimentos não realizados, em vez de ser suprimida, será mantida. Há triste frase a definir nossa concessiva estrutura legal: no Brasil quem faz a lei é a mãe do bandido.

Boa idéia – Jornalistas Scheila Canto e Paulo Cruz realizam segunda edição do Salão do MiniAutomóvel, interessante mescla de automóveis em várias escalas, desde 1:87 até 1:1, no caso Nissan GT/R e Chevrolet Camaro.

Fórmula - São mais de 4.000 unidades dos modelos em escala. Caminho novo ao juntar carrinhos de brinquedo e de verdade, com apoio dos fabricantes. No Shopping do Bosque, até set.24, Campo Grande, MS.

Ampliação – Toys for Boys Brasil, importadora de brinquedos para homens, ampliou linha de produtos. Além de automóveis esportivos, aeronaves e iates, traz, sob encomenda, lanchas Tigé.

Fórmula 1 – Mudanças redesenham a principal categoria do antomobilismo:
União McLaren Honda abriu. Equipe inglesa utilizará motores Renault. O asturiano Alonso permanecerá na equipe;

Toro Rosso com Honda – Parece um meio termo para negócio maior, fornecer à controladora Red Bull em 2019;

Sainz Jr saiu da Toro Rosso, indo para a Renault;
Kubica não irá para a Renault. Piloto finlandês procura equipe;

Recorde – Irv Gordon, 79, ex professor de Nova Iorque, coleciona recorde sempre aumentado, o de ter dirigido a maior quilometragem, num mesmo carro, em uso privado. Com Volvo P1800 de 1966, sólido e charmoso sueco recém completou 5M de Km, e no período retificou-o apenas duas vezes. Um recorde.

Celebridade – Transformou-se em referência para recomendar cuidados, manutenção em oficina autorizada, lubrificante indicado pelo Manual, de qualidade e troca nos intervalos nele indicados pela fabricante.

Mas – Porém, todavia, entretanto, sempre os há, o até então indestrutível motor do Volvo não resistiu ao descompromisso feminino. Razão descoberta pelo velho mecânico do automóvel, Da. Gordon, também provecta condutora, não soltou o freio de mão; rodou até queimar as lonas de freio; forçou o motor até debulhá-lo. Problemas não são solitários: ao saber da notícia, o velho mestre enfartou.

Concept One. Mercedes-AMG escreve o manual dos Hypercars
Mercedes-AMG surpreendeu o mundo apresentando seu novo ponto de exclamação, o Concept One. Mescla tecnologia de carros da Fórmula 1 com as mais recentes conquistas de tração elétrica. Resultado prático, um gran turismo classificado como Hypercar, muito acima dos concorrentes escreve as regras para a nova categoria.

Três motores elétricos – 120 KW, 160 cv em cada roda frontal, o terceiro tocado pela ponta do virabrequim do motor entre eixos traseiro – ciclo Otto, V6, 1,6 litro, o dos carros da Mercedes na Fórmula 1. Limite de giros e potência reduzidos relativamente aos carros de competição para oferecer durabilidade e confiabilidade ao uso nas ruas e estradas, e o turbo passou a ser elétrico, um motor com 80 kW – uns 107 cv - novo caminho para este soprador de potência.
Confiança patente, após longos 50 mil km motor e câmbio são retirados e, como nos Fórmula 1, inteiramente desmontados para aferir desgaste.

O Concept One, nas palavras de Thomas Moers, CEO da Mercedes-AMG, é o primeiro automóvel a tornar a tecnologia de Fórmula 1 utilizável nas vias, e a tomada de ar do motor expõe tal herança. O comportamento dinâmico também busca semelhanças. Com mais de 1.000 cv de potência, o conjunto de quatro motores o impulsionam do Zero aos 200 km/h em menos de 6s – o Bugatti Chiron, com 1500 cv fazem 6,2s; velocidade final de 350 km/h. Transmissão para as rodas traseiras, com 8 marchas, embreagem por monodisco seco. Dianteira por tração elétrica.

Outros dados: supera os Fórmula 1 em estabilidade; suas baterias pesam 100 kg; marcha lenta reduzida de 4.500 rpm para 1.100 rpm; funciona com gasolina de 95 octanas, como a Podium nacional; usa pneus Michelin Pilot Sport Cup 2 285x35x19 à frente e 335x30x20 atrás. Projeta-se a construção de 275 unidades a US$ 2,7M – uns R$  8,4M - na Inglaterra, onde produzido.

Não é apenas um degrau acima do pico dos esportivos, mas bandeira para exibir tecnologia a migrar para os futuros AMG e Mercedes. 


Pelo segundo ano consecutivo, Nissan é eleita empresa que melhor se comunica com os jornalistas

A Nissan do Brasil recebeu, pelo segundo ano consecutivo, o prêmio "Empresas que Melhor se Comunicam com Jornalistas" na categoria "Setor Automotivo", um dos prêmios mais tradicionais do setor automotivo brasileiro realizado desde 2011.

Promovido pela revista Negócios da Comunicação em parceria com o CECOM (Centro de Estudos da Comunicação), o reconhecimento é baseado em pesquisa realizada com 25 mil jornalistas de todo o Brasil e segmentos e foi auditada pela consultoria britânica BDO Brazil. 

O objetivo da premiação é reconhecer a qualidade do relacionamento e a comunicação que as empresas e suas assessorias de imprensa mantêm com os jornalistas e o mercado.


O prêmio foi recebido pelo diretor de Comunicação Corporativa da Nissan, Rogério Louro, acompanhado de Alexandre Carvalho, especialista de Produto da equipe de comunicação da marca.

BMW lança linha Individual de cores externas exclusivas para o M3 Sedan

Ícone de esportividade a motor, dentro e fora das pistas, o BMW M3 Sedan já pode ser encomendado na rede de concessionárias autorizadas BMW com cores externas da linha BMW Individual. Esta nova gama de tonalidades exclusivas, e que acaba de ser disponibilizada pela BMW no país, traz opções de pintura externa que abrangem todo o espectro de cores, chamando a atenção para seus acabamentos brilhantes, efeitos que refletem o colorido do arco-íris e até aparência que remete ao metal líquido.

Inspirada na coloração de pedras preciosas para projetar uma infinidade de acabamentos de pintura inimagináveis, a linha BMW Individual é referência em termos de profundidade e brilho, e sua luminosidade pode variar dependendo do ângulo de incidência da luz, podendo surpreender com seus efeitos iridescentes.

Acabamentos tipo mate, por exemplo, exibem um brilho sedoso, criando um aspecto distinto e enfatizando uma poderosa linguagem de design de cada modelo BMW. Nem a luz ou a ausência dela podem obscurecer a fascinante interação entre as superfícies precisamente esculpidas. O segredo, neste caso, é um tipo de pigmentação especial aplicado em várias camadas. O resultado é uma declaração clara e visível da máxima individualidade.

Em contrapartida, a pintura de acabamento metálico permite que cada veículo irradie seu próprio brilho especial. Graças a seus incomparáveis efeitos cintilantes, à refração da luz individual e a um intenso brilho fascinante, eles criam uma expressão definitiva.

Ao todo, a paleta de cores da linha BMW Individual, disponibilizada no Brasil, abrange 17 tonalidades diferentes, sendo quatro de acabamento sólido, nove de acabamento metálico – ambas oferecidas por R$ 15.000 –, e mais quatro, denominadas Metálico Frozen, cujo preço sugerido é de R$ 20.000.

Confira abaixo as características de cada uma das cores da linha BMW Individual.

Sólido
British Racing Green – A cor oficial do automobilismo britânico é usada há mais de meio século por seus pilotos, desde o primeiro GP de Mônaco, em 1929;

Fire Orange – É uma das pinturas mais ousadas e distintivas da gama. Até hoje é associado ao lendário E92 M3 GTS, graças à sua declarada aspiração esportiva;

Imola Red – Pintura famosa da BMW e que representa a faixa vermelha do logotipo da BMW M;

Nardo Grey – Pintura de acabamento rústico, com tonalidades de cinza ligeiramente escuras;

Metálico
Azurite Black – Pintura baseada na pedra Azurita e que mescla tons de azul com preto, se misturam conforme o ângulo que se olha para a superfície do veículo; 

Champagne Quartz – Pintura com pigmentos altamente reflexivos e que enfatizam os contornos do carro;

Grigio Medio – Possui acabamento mais leve de cinza, dando um aspecto de profundidade que acentua s linhas de design do carro;

Java Green – Pintura exótica, de tonalidade verde cítrica, garante uma aparência mais esportiva e agressiva;

Macau Blue – Azul denso com profundidade capaz de produzir acabamento exterior sofisticado;

Smoked Topaz – Pintura cuja superfície brilha como um prisma num espectro de cores que varia entre vermelho, cinza e preto;

Tanzanite Blue – Tons azuis únicos da rara pedra preciosa Tanzanita inspiram essa pintura que mistura pigmentos azuis claros e escuros que brilham em tons de turquesa quando expostos à luz do sol;

Grigio Telesto Pearl – Possui acabamento em cinza sóbrio que funciona muito bem com elementos exteriores pretos para garantir uma aparência mais nítida;

Venetian Violet – Possui acabamento profundo e intenso que entrega um estilo elegante e distinto;

Metálico Frozen
Frozen Black – Possui superfície que mescla preto com mate (fosco) e aumenta as linhas do corpo do carro de maneira única e perfeita por meio da aplicação de uma pigmentação especial em várias camadas;

Frozen Brilliant White – Cor branca com acabamento metálico;

Frozen Red – Exibe uma aura especial por meio de uma rica superfície vermelha, aumentando as linhas do corpo do carro de maneira única e perfeita. O segredo: uma pigmentação especial aplicada em várias camadas;

Frozen Silver – Possui uma superfície que mescla prata com mate, capaz de aumenta as linhas do corpo do carro de maneira única e perfeita por meio da aplicação de uma pigmentação especial em várias camadas.

BMW Individual
Para a BMW, cada cliente é único. Com isso em mente, a marca criou, na década de 1990, a linha BMW Individual, um padrão exclusivo capaz de refletir o auge em termos de qualidade técnica. A linha BMW Individual surgiu com o desenvolvimento de veículos sob medida para personalidades, como o estilista alemão Karl Lagerfeld e o tenor lírico espanhol Jose Carreras, além de uma série de equipamentos que tornaram-se sinônimo de qualidade inigualável, atendendo às mais rigorosas exigências e desenvolvimento focado no cliente. A gama BMW Individual abrange acabamentos de pintura exclusivos, revestimento de couro de alta qualidade e guarnições internas.


Novos relógios Scuderia Ferrari contam com inspiração em carros de corrida

Afirmando sua orgulhosa herança de corrida e raízes italianas, a marca Scuderia Ferrari Orologi traz a emoção e o estilo inconfundível da equipe de corrida para os seus dedicados fãs e telespectadores entusiastas ao redor do mundo.

Para a coleção do segundo semestre de 2017, a Scuderia Ferrari apresenta "Pilota" - uma família de relógios esportivos inspirados no estilo elegante e no desempenho magistral dos carros e corrida. A origem do nome da nova coleção vem do italiano "piloto", além de ser título do curso de pilotagem exlusivo para proprietarios de Ferrari.

Esta linha conta com uma caixa redonda de 45 mm com protetor de coroa e pinos de esporte estendidas com contornos aerodinâmicos esculpidos para desvio de vento. O bezel, encapsulado por um painel preto ou com armação de pistão, conta com uma faixa de minuto branco ou preto impresso na fonte "fast" da Scuderia Ferrari.

Com três modelos disponíveis, dois com pulseira de couro com "Scudetto" gravado em alto relevo e costuras vermelhas, remetem aos bancos da Farrari 488 GTB, e um com pulseira de aço inoxidável, inspirado no modelo da Ferrari 458 Italia. 

O mostrador, em cinza, vermelho ou preto, conta com o logotipo de Scudetto em prata ou amarelo gravado às 12 horas, acima do nome "Pilota" assinado em vermelho, preto ou cinza.

O relógio ainda conta com 3 mostradores pequenos no centro, cercados por anéis de índice contrastantes em preto, prata, vermelho ou amarelo, mecanismo QTZ, resistência de 5 ATM e vidro de cristal mineral.


Todos os três modelos da linha serão vendidos no Brasil exclusivamente pela Vivara, e chegam às lojas físicas da joalheria e ao e-commerce Vivara online (www.vivara.com.br).